terça-feira, 6 de outubro de 2009

SOM e FÚRIA*

Esse é o cara. Raio Negro. Ou melhor, Blackagar Boltagon (Black Bolt, sacaram?). Ainda bem que pelo menos o nome original do cara não traduziram, deve ser meio ridículo alguém chamado Raioagar Negroagon – ou seria Raioagon Negroagar? Bom, deixando isso de lado, vou falar sobre o rei dos Inumanos, um dos módafoca mais overpower da Marvel, na minha humilde opinião. Mas vou tentar explicar a vocês meus motivos. Vamos começar com uma leve introdução.

Raio Negro foi criado por Stan Lee e Jack Kirby, e apareceu pela primeira vez numa história do Quarteto Fantástico, mas logo depois contracenou com um monte de outros personagens. Ele é soberano da espécie dos Inumanos, uma ramificação da raça humana, manipulada geneticamente pelos alienígenas Krees num passado distante, que evoluiu distintamente. Uma sociedade rigidamente dividida em castas, monárquica e escravocrata. Para uma melhor compreensão do funcionamento da sociedade dos Inumanos, recomendo a minissérie, ganhadora do Prêmio Eisner, de Paul Jenkins e Jae Lee (ambos também de Sentinela, outra boa obra). Todo inumano, quando alcança determinada idade, atravessa um rito de passagem chamado Terrigênese e se expõe às Névoas Terrígenas, que lhe possibilita aflorar suas capacidades genéticas, garantindo-lhe poderes e às vezes alterando drasticamente sua aparência. A base da sociedade inumana é, portanto, a diferença, paradoxalmente ligada à rigidez de sua estratificação social. Tal ritual também expõe deformidades e eleva quaisquer defeitos genéticos existentes. Devido a isso, a sociedade inumana desenvolveu um sistema de eugenia, melhoramentos genéticos e casamentos consanguíneos para minimizar tais defeitos. Raio Negro foi concebido para ser o ápice da evolução inumana, e exposto às Névoas Terrígenas ainda embrião. E é o mais poderoso inumano que já existiu. Além de sua capacidade de controlar elétrons e assim manipular matéria e energia, seu maior poder é sua voz. Um mero sussurro é capaz de fazer uma sala inteira em pedaços, e um pequeno grito talvez seja mais potente que uma bomba nuclear. Quando chorou pela primeira vez, ainda bebê, quase destruiu a cidade, como visto aqui.

Devido à grandiosidade de seu poder, que era um perigo para toda a sociedade, Raio Negro teve de passar 19 anos isolado e recluso numa câmara especial à prova de som para conter seus poderes, onde desenvolveu técnicas capazes de controlá-los, até ser possível viver em sociedade sem riscos. Viver uma vida em eterno silêncio.

Raio Negro casou-se com Medusa, e forma a Família Real Inumana, ao lado de Gorgon, Karnak, Triton, e Cristalys. Reparem no desabafo da rainha Medusa a uma de suas amas, ao falar sobre como é ser mulher do mais poderoso dos Inumanos.

MEDUSA: "Meu esposo... às vezes, ele me olha de um jeito que me faz sentir segura de seus sentimentos. Em outras ocasiões, ele é um enigma. Eu queria... de vez em quando, eu preciso tanto ouvir as palavras. Só que ele não pode dizer nada, jamais poderá."

AMA QUALQUER: "A Senhora receia que ele cometa um erro?"
MEDUSA: "Não. Nunca. Mas esse é o problema. É aterrador pensar que meu marido é capaz de selar a porta da sua mente... e trancar tudo e todos para fora.
Inclusive eu."


Sempre me amarrei em personagens conflitantes com o próprio poder, e sempre adorei o tipo de "lei da compensação" que a Marvel aplica em vários de seus personagens (Professor X tem a mente mais poderosa do planeta presa em um corpo inválido, Hulk é o avatar da força mas não tem nenhum controle, o poder da Vampira é sua eterna maldição, etc.). Lembro que, da primeira vez em que vi o Raio Negro, fiquei meio que maravilhado e meio que assustado, a figura do monarca inumano exigia respeito e admiração. A aura de nobreza e mistério que circundava o personagem tornava-o mais interessante (repare que nunca foi apresentado, jamais, um balão de pensamento revelando o que ele está pensando). Já tinha noção que o cara era poderoso, mas só depois que li Terra X (fiquem de olho, a Panini vai relançar, ou melhor, lançar, Terra X completa!!! Nada mais de histórias retalhadas) que comecei a perceber a verdadeira extensão do poder do bicho. Se vocês já leram e se lembram, mais pro final da história Raio Negro simplesmente encarou no mano a mano os Celestiais! Os Celestiais!!! No mano a mano!?!?! Po, os Celestiais são deuses, ou mais que isso, são deuses cósmicos!

"Uma voz que pode destroçar um deus... ou mais de um." Outra prova do quanto o Raio Negro é O Cara, essa bem mais sutil, mas não menos impressionante, abaixo.

Karnak, que tem a capacidade de detectar o ponto fraco de qualquer coisa ou pessoa, conversa com Gorgon:












KARNAK: "Estou preocupado com o rei."
GORGON: "Preocupado com ele? Pensei que isso fosse impossível. Você jamais pôs em dúvida as motivações de nosso rei. Sua lealdade ao Raio Negro é inquestionável. Qual é o problema?"
KARNAK: "Para interpretar o problema, você deve saber o que eu sei. Deve entender o meu... dom."




Sinistro, hein? Se nem aquele que tem o poder de encontrar a fraqueza de qualquer pessoa ou coisa consegue ver uma no Raio Negro... fala sério!

Se vocês ainda não estão convencidos de seu poderio, uma amostra do que aconteceu quando ele sussurrou a palavra "guerra" bem aqui e aqui. Até mesmo Apocalipse tem medo dele, vejam. Ou então sigam este link para ver alguns outros feitos mais de Raio Negro.

Sempre legado a segundo plano, como personagem coadjuvante, nos anos recentes, finalmente, vimos o personagem adquirir um pouco da grandiosidade que lhe era cabida, quando ele nos é apresentado como um dos membros fundadores dos Illuminati, a conspiração secreta de grandes líderes heroicos manipulando eventos por trás dos bastidores no universo Marvel (aliás, em uma das histórias desse misterioso grupo, Reed amplifica as energias vocais de Raio Negro para criar um buraco na própria realidade, mais uma prova de seu vasto poder sônico).

Pois bem, eis que vejo nas bancas Guerra Silenciosa. Uau, massa, o título já evoca guerra, e logo na capa vemos som e fúria do rei dos Inumanos. "Quando as Névoas Terrígenas são roubadas pelo governo norte-americano, os Inumanos declaram guerra aos EUA, uma guerra na qual uma única palavra pode devastar todo o planeta." Muito boa a história, principalmente a atitude do Sentinela (outro overpower, conhecido como o super-homem da Marvel só pela apelação, mandado pela SHIELD à frente de batalha para conter o poderio inimigo) com relação ao Raio Negro. Ambos são tratados como os arsenais atômicos das duas grandes potências durante a Guerra Fria. A presença do Sentinela garante que Raio Negro não faça nada, e vice-versa. Cada lado põe sua peça mais poderosa no jogo não para participar e vencer, apenas para impedir que o adversário use sua peça mais poderosa também. Há quem diga que Sentinela, com "o poder de mil sóis explodindo" (o que quer que isso signifique) amarelou... Outro "confronto" curioso na história é quando Jamie Madrox parte para cima de Raio Negro com um bastão, e Layla Miller tenta intimidá-lo dizendo que não dá para derrotar o Homem-Múltiplo, pois cada vez que acertam nele, surge uma cópia sua. Medusa responde o desafio: "Meu marido tem o dom de fazer cada elétron em seu corpo se colidir simultaneamente com o elétron adjacente. Faz ideia do que aconteceria?".

Porém, à parte isso, Guerra Silenciosa ainda trouxe algo de que definitivamente não gostei. Vimos ainda há pouco o quão incólume, frio, íntegro Raio Negro pode ser. Apesar de se manter firme em sua posição de declarar guerra aos EUA, ir contra seus amigos heróis e arriscar a própria segurança de seu povo, em determinado momento da história, o rei vê seu irmão beijar Medusa, e reage... assim:

Po, cadê a imagem do impassível, quase blasé, do rei todo-poderoso? Cadê toda a dignidade de Sua Alteza? Tudo bem que cada autor trata seus personagens da maneira que convier melhor à sua história, captando uma nuance específica que queira mostrar... mas descaracterizar a personalidade do personagem assim? Talvez ele quisesse mostrar um lado mais humano do personagem... mas po, o cara é Inumano! (tudo bem, o trocadilho foi fraco...)

Para piorar ainda mais a situação, li Hulk Contra o Mundo (World War Hulk), e adivinham quem é o primeiro dos Illuminati que o verdão resolve pegar na porrada quando volta de seu exílio? Exatamente, o "mais poderoso deles".

Vamos lembrar a última briga que o Hulk teve com Raio Negro, e o resultado da peleja:

01-02-03-04 (imagens retiradas do blog Black Zombie).

Raio Negro não só aguenta um murro direto do Hulk, como acerta um no gigante verde. Eles trocam uns sopapos até que o inumano abre sua boca e faz a cidade inteira tremer... derrubando finalmente o verdão.

E no Hulk Contra o Mundo?
Não dá pra saber ao certo o que diabos o Golias Esmeralda fez, mas a prévia da luta vocês acompanham desde aqui, aqui e aqui, até aqui.
Mas esperem. Deve ter algo errado aí. Pra tudo há uma explicação. Não é possível que esse Raio Negro todo quebrado aí do lado seja o mesmo Raio Negro que venho apresentando desde o início. Não mesmo.
E não é!

Ainda não li Invasão Secreta (gosto de esperar essas sagas chegaram ao fim para poder lê-las de uma vez só), mas já sabemos previamente que um dos Illuminati foi trocado por um Skrull, e que esse foi justamente o rei dos Inumanos. Resta saber agora: COMO diabos isso foi feito, e ONDE está o verdadeiro? Sei que logo após a Invasão Secreta haverá War of Kings, e parece que o Raio Negro, o original, o modafóca, o Cara, vai à desforra pancando todo mundo pelo universo! Vamos esperar para ver. Dizem que no espaço ninguém pode ouvir você gritar... a menos que você seja o monarca dos Inumanos!

*O título deste post vem de Macbeth, de Shakespeare, reproduzido em Admirável Mundo Novo, e não se refere à minissérie homônima da Globo (apesar de que esta eu também recomendo, fez com que eu acreditasse ainda haver qualidade na TV aberta).

- Minissérie sugerida: Som e Fúria, Globo.

- Música sugerida 1: Enjoy the Silence (Depeche Mode)

- Música sugerida 2: The Sound of Silence (Simon & Garfunkel, versão do filme Watchmen)


Rodrigo.

4 comentários:

doggma disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
doggma disse...

Excelente matéria, Rodrigo! Raio Negro sempre foi um dos meus personagens favoritos, justamente pelas possibilidades e pelo caráter amoral (o cara não é herói, tampouco humano). E porque é poderoso bagarái!

Não se preocupe, quando você ler Invasão Secreta, saberá porque o Hulk levou o caneco dessa vez. E War of Kings tá bem interessante.

Abraço!

Renivaldo disse...

Cara, fantástico! Sempre tive curiosidade sobre os Inumanos e não sei por que motivo nunca fui buscar nada. Valeu a matéria, parabéns!

Rodrigo Maia disse...

Valeu, Renivaldo! Os Inumanos sempre atiçaram minha curiosidade também, daí em parte eu ter feito um resuminho rápido antes de entrar no Raio Negro mesmo. Falando nisso, fiz mais um post sobre eles e sobre a Guerra dos Reis no blog.
Obrigado mais uma vez!