sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Li... e fede!

Argumento e arte. Em HQs, devem andar juntos, pelo menos para mim. Há aqueles que são exímios nos dois, como John Byrne e Walt Simonson (vide Quarteto Fantástico e Thor deles). Mas vou falar de outro autor/desenhista. Ou melhor, de um suposto “autor” ou “desenhista”: Rob Liefeld. E falar mal, muito mal. Mas hoje em dia é muito fácil falar mal dele. Em qualquer site, fórum ou blog você acha um milhão de detratores do cara. Ahá, então não era só eu que, lá nos idos da famigerada década de 90, achava o cara um zosta?!? Que alívio saber disso! Outros concordavam comigo também! Volto nesse assunto depois. Mas vamos lá, se você não sabe de quem eu estou falando, ou não concorda comigo, aqui vão algumas provas que sustentam a minha opinião. Retirei de um site em inglês muito bom, sarcástico, hilário, que lista os 40 piores desenhos do Liefeld (http://progressiveboink.com/archive/robliefeld.html), mas peguei somente alguns e dei umas opiniões pessoais a mais (confesso, não vou ser nada parcial aqui).

Para entender melhor minhas críticas, é bom um conhecimento, mesmo que mínimo, sobre anatomia, perspectiva e tal, nada muito técnico ou profissional, basta você já ter lido alguma HQ antes (que não seja do Liefeld, claro) ou visto alguma foto de um ser humano ou ter a mínima noção intuitiva de física do mundo em que você mesmo vive. Com vocês, Rob Liefeld:




Vou começar devagar. Reparem em como Shatterstar enfia a espada em Masque. Olhem para sua mão esquerda. Pois é, ele "empurra" gentilmente a espada através das costas de seu adversário com a palma da sua mão, delicadamente. Passem ao quadrinho de baixo. Além de atacá-lo ajoelhado (mas não no mesmo plano em que estão todos os outros personagens da cena, ou isso ou então todo mundo que está atrás está simplesmente flutuando), Shatterstar ainda ergue o inimigo no ar com a ponta de sua espada, sem condições mínimas de apoio! Alguém consegue explicar como essa espada não quebrou no meio? Não vou nem comentar o tamanho da lâmina, que cresceu uns bons 30cm de um quadro para outro, reparem. Mas vou falar do brilhante fundo criado por Rob. Riquíssimo cenário, não? Eles deviam estar lutando dentro de alguma galeria de arte abstrata com paredes assim...



Olha o Shatt aí de novo (Rob gostava mesmo de sua criação)! Respondam rápido: que mão foi decepada, a direita ou a esquerda? Esquerda, né? Tem certeza? Olhem bem para ela... quantos polegares ela tem?!?! Sério, se não houvesse a imagem ao fundo do carinha com o pulso esquerdo vazando sangue, alguém realmente diria com absoluta certeza que essa mão voadora era uma mão esquerda? Outra, das duas uma, ou Shat tá pulando pra atacar seu inimigo (e de um modo bem esquisito, eu diria, com as pernas abertas e tal), ou seu inimigo realmente tava lutando com ele ajoelhado? Princípio do terceiro excluído, ou você assume a primeira proposição como verdadeira, ou a segunda... ambas bem inverossímeis. Não acaba por aí. Olhem a espada. De qual perspectiva vocês estão olhando-a? Sua lâmina está perpendicular ou diagonal em relação à empunhadura? Parece que ela está chapada, bidimensionalmente, e de jeito nenhum aparenta estar num ângulo de acordo com a empunhadura.



Bom, nessa nem vou comentar no uniforme ridículo da senhorita de quadril bizarro voando ali em cima (po, dourado com marrom? e com um balde na cabeça???). Só quero que me respondam: de onde saiu o terceiro braço desse descamisado aí? Fala sério, saiu de dentro da barriga ou é impressão minha? Esse pobre coitado, além do defeito teratológico em sua anatomia, também é míope ou ele está partindo pra cima de alguém contra a luz do sol? Ou talvez ele seja mesmo oriental e eu esteja enganado... Nããããã! Nota dez pro cenário aqui também, estilo "estou dentro da Matrix vazia".



Quase que todas as mulheres desenhadas por Rob são bailarinas. Ou pelo menos adoram andar em allongé ou elevé ou en pointe (sei lá, não entendo muito de balé): por que diabos as duas estão na pontinha dos pés? Falando em pés... esse é o ponto fraco do nosso querido Rob. Na verdade, ele tem muuuuuitos pontos fracos, mas pés são o ponto mais fraco dele, se é que isso é possível. Veremos mais disso nas próximas figuras, mas por enquanto se atenham aos pés da Dominó lá no fundo. Isso mesmo, aquelas tripinhas horríveis e deformadas em que finalizam as pernas da branquela lá do fundo são, ou eram para ser, pés. Reparem que nenhuma das duas veste calçados (o colorista até que tentou ajudar Rob e pintou os pés da Dinamite de rosa, mas não conseguiu nos enganar, conseguiu?), mas mesmo assim, nenhuma delas apresenta dedos nos pés... sinistro! Falando em Dinamite, ela tá mesmo tomando uma chave de braço da própria toalha ou essa é a posição normal que um braço direito fica quando se está se enxugando? Pode ser noia minha, mas eu realmente acho que naquele braço direito da loirinha está parecendo uma mão esquerda... sou só eu? Voltando à Dominó e sua alongada "quebra-quadril", meu amigo, que área pubiana vasta ela tem, não? Em alguns cursos de desenho da figura humana, é ensinado que a distância entre o umbigo e o fim da área pubiana seria equivalente a uma "cabeça" (já vão vocês se medindo aí, né, hehehehe), mas no caso em pauta Rob quis dar-lhe mais sensualidade, e a deixou com uma distância de duas cabeças!



E olha a área pubiana aí de novo! Meu Deus, Rictor botou uma pá dentro da cueca mesmo? Para fazer sucesso com a Dinamite, será? Rob deve ter gastado tanto tempo desenhando essa área enorme aí em cima que, quando chegou na hora de desenhar a mão esquerda do infeliz, ele disse "ah, cansei, deixa qualquer coisa por aí pro colorista preencher". E, po, Dinamite, não tinha outro lugar pra se sentar não, tinha que ficar logo em cima do armário? Se bem que, pra mim, não parece que ela está bem sentada no armário não, diria que ela está meio que flutuando pousada imponderavelmente sobre ele. Agora vamos ao quadrinho de baixo e... Santos macacos devoradores de humor vítreo, Batman, o que aconteceu com os olhos de Rictor? Aonde eles foram parar?



Bom, vamos lá. Alguém consegue explicar o porquê de uma arma ter duas saídas para balas? E é uma arma bem grande, certo? Como Cable consegue segurá-la sem ter o apoio de sua mão esquerda? Afinal de contas, onde diabos está sua mão esquerda? E quanto à sua mão direita... falem a verdade, parece mesmo que ele está segurando o gatilho dela ou apenas a apoiando no colo? Po, de que adiante usar uma arma desse tamanho se não for usá-la? Ele nem sequer ameaça ninguém segurando-a assim, ele nem sabe onde fica o gatilho da arma para poder tentar dispará-la! Quanto ao Shatterstar logo abaixo, parece que Rob o desenhou de mão fechada e depois pensou "hmmm, seria uma boa dar uma arma para ele também, para Shat não se sentir diminuído com o armão do Cable" e daí desenhou porcamente um cano de arma em cima da mão dele. Ou isso ou a empunhadura da arma tem a finura de um canudinho. E quanto a essa bola no lugar do bíceps do cara, que p#$*a é essa? Fora que seu antebraço parece atrofiado, ainda mais perto de um bíceps dessa circunferência (meçam a distância do ombro até o cotovelo, e do cotovelo até o punho, não parece incongruente?). Ao fundo, Dominó com sua quebradinha de espinha...



Nada de errado nesta, não é mesmo? Boa pose, de ataque, mostrando dinamismo, e mesmo com o corpo dobrado, em movimento, Feral ainda mantém suas proporções corretas. Rob acertou desta vez? Não sejamos tolos. De onde está saindo o rabo de Feral mesmo, hein? Po, tá saindo da bunda dela! A cauda é um prolongamento da coluna vertebral, que no caso dos humanos é reduzida e limita-se ao cóccix. Ou seja, deveria sair do fim da coluna, seguindo a linha medial das costas, e não da nádega direita dela!!!



Já mencionei o problema do Rob com pés, certo? Vejam bem aí em cima o que acontece quando ele resolve desenhá-los... tadinho do Franklin, ganhou patas de elefante. "Olha o passo do elefantinho..." Mas Rob é um cara espertinho, e sabiamente usou artíficios para evitar de ter de desenhar pés nos quadrinhos seguintes. Nada como uma rocha bem colocada ou um corte entre o quadrinho de cima e um quadrinho de baixo para esconder os pés dos personagens! Olhem agora para a mão direita do vilão: não há um dedo faltando ali? Falando em mãos, reparem nas mãos de Franklin (que pelo jeito adora correr de braços abertos): acho que Rob desenhou a cena inteira, depois pensou algo como "eu queria fazer o Franklin mais modafóca, pra ele não ficar só correndo como uma menininha... é, acho que vou botar uma arma nas mãos dele, vai ficar legal" e tascou uma arma na mão do moleque, obviamente desenhando-a por cima do desenho original. Não havia intenção original de ele segurar uma arma, isso é nítido. Tanto que, no último quadrinho, por preguiça ou puro esquecimento, Rob não desenhou a arma mais. Ela desapareceu! Hilário é esse "thoomthoomthoom" de onomatopeia pra indicar Franklin atirando perigosamente contra seu perseguidor sem nem olhar pra trás. Muito bom, Liefeld!



Aqui vemos mais um exemplar do ótimo gosto de Liefeld por uniformes, e seu padrão básico é: meia-jaqueta, luvinhas transadas, golinha no pescoço, uso do branco e A ENORME ÁREA PUBIANA! O cenário de fundo, como de praxe, são só rabiscos abstratos. A grande jogada de Rob aqui é não mostrar os pés de ninguém! Uhu, ele conseguiu, meia página toda e nada de pés para se desenhar, graças a um joguinho com cenário e perspectivas. Parabéns, Rob, reconheceu seu erro e o evitou, saindo de bandinha. Olhem para a mão direita de Deadpool, abaixado, e me digam se seus dedos parecem ou não pernas de aranhas. Todos com quase a mesma espessura, e aparentemente invertebrados. Falando em mãos, a mão direita do Arma X (de pé) está fechada... mas parece não ter dedos. De algum modo, para mim não bate o volume da mão do cara com o braço inteiro dele, a proporção está errada. É como se ele estivesse com a mão aberta, mas não tivesse mais dedos. Impressão minha só?




Olhem o pé do Cable! Coitado, tá com o pé deformado (aqui Rob esqueceu de pôr uma pedra ou um matinho providencial na frente dos pés dele e teve de desenhá-los...). Subam o olho pelo corpo de Cable, cheguem no quadril e continuem até seus ombros. Opa! Não parece que o quadril dele é maior que seus ombros? É quase uma reta só, ou será que Cable está com culotes? Quanto ao que ele carrega debaixo do braço, aquilo ali é uma arma ou um jornal? Sua mão direita aparenta mesmo estar carregando alguma coisa, mesmo que seja esse jornaleco high-tec? E sua mão esquerda... peraí, cadê a mão esquerda??? Tanto nesta quanto na figura anterior, os personagens estão de frente para o sol de novo (acho que ele deve achar que olhinhos apertados quase fechados tem um quê de cara de mau, sei lá).



Não, essa daí não é a mulher-elástica ou qualquer coisa do tipo (apesar de seus braços parecerem estar sendo esticados também). Ela também não está morrendo tendo sua coluna partida ao meio. Eu não sei dizer se ela é contorcionista, mas não creio. É erro de perspectiva mesmo! Se dividirmos a imagem ao meio, veremos duas perspectivas diferentes (façam o teste, cubram uma metade e observem a outra, depois troquem). Baseado na metade de baixo, a senhorita estaria sendo vista meio que lateralmente, em diagonal. Esperaríamos, então, vê-la um pouco de perfil, a parte direita de seu corpo semiencoberta pela esquerda, em primeiro plano. Baseado somente na metade de cima, podemos afirmar que ela está sendo vista de cima, pelo alto, com a "câmera" logo acima de sua cabeça. Sendo assim, a metade inferior de seu corpo deveria estar encoberta pelos seus ombros e seios. Mas isso num mundo onde a física funciona exatamente como a nossa. No mundo de Rob Liefeld, uma mulher consegue ser vista ao mesmo tempo por cima e pelo lado, sem se quebrar todinha. Cara, Rob é um verdadeiro cubista!



Aqui podemos ver como uma mulher se parece para Rob. Um verdadeiro alienígena. Podemos ver um cinto no lugar onde deveria estar (ou caber) um estômago, braços mais largos que seu próprio abdômem, a espinha quebrada num ângulo humanamente impossível, para parecer sexy, eu acho. E uma coxa que vai se avolumando e ganhando diâmetro à medida que se aproxima mais do joelho. Guardei essa imagem para o final, mas caberia ter copiado a frase do site original em inglês: "O que você precisa saber de mais importante antes de ler sobre os terrores que Rob Liefeld desenhou é que ele nunca viu ou conversou com uma mulher na vida e não tem ideia de como elas parecem nem como o corpo delas funciona". Revejam a imagem acima. Corrobora a frase?



Finalmente, a imagem que eu mais gosto: a Vovó América! Fala sério, você olha para essa imagem aí em cima e diz "puta, mas como o Capitão tá forte e musculoso!" ou diz "meu, o Capitas tá gordinho, hein? E essas tetas aí?". Eu ainda não consigo acreditar que Rob tenha finalizado este desenho e pensado "cara, me superei dessa vez, tá perfeito", e, pior ainda, não consigo acreditar que a Marvel comprou essa bagaça! É, pagou por essa imagem! E caro! Mas sabem por que o bandeiroso tá parecendo tão gorducho assim? Vou tentar explicar. É a tentativa de Rob de ser cubista novamente que está nos dando essa ilusão (po, o supersoldado é o ápice da forma física humana, ele não pode estar uma bola assim, é somente uma ilusão). Questão de perspectiva: o Capitão ou está de perfil, ou está meio de lado, mas não os dois ao mesmo tempo. Inicialmente, aparentemente, Rob queria fazê-lo totalmente de perfil (tudo bem, virando um pouco o rosto para nós), mas pecou ao tentar desenhar toda a estrela em seu peito. Se o Capitão estivesse mesmo de perfil, só poderíamos ver seu peitoral direito, que cobriria a visão do esquerdo e nos privaria de ver todo seu símbolo. Se, pelo contrário, ele estivesse meio de lado, aí sim veríamos também seu peitoral esquerdo e o restante da estrela no peito, PORÉM, sua cabeça não deveria estar tão atrás, deveria estar mais deslocada para o centro de seu corpo, mais para perto da estrela (a não ser que seu pescoço surja ou emerja a partir de seu ombro esquerdo). Tracem uma linha imaginária a partir da nuca do Capitão até abaixo para tentarem visualizar onde estaria sua coluna vertebral. Percebam que essa linha dividiria o escudo do América quase bem no meio da estrela do escudo. Então, daí vem a pancinha, pois se as costas dele estão lá atrás do escudo, e se seguirmos a distância até o fim de seu abdômem, veremos Capitas com uma avantajada circunferência abdominal... Abaixo, em uns trinta minutinhos gastos no Paint, fiz (toscamente) uma comparação entre as duas perspectivas, tentando "consertar" o desenho de Rob. Reparem que, na primeira figura, tentei mantê-lo de perfil, apagando seu lado esquerdo que não poderia ser visto deste ângulo. Ao lado, na direita, tentei manter a estrela em seu peito completa, dando a entender que ele estava se virando para nós, mas para isso tive de deslocar (lembrem-se que falei toscamente) sua cabeça mais para o centro de seu corpo (se traçarem a linha imaginária novamente a partir de sua nuca, neste caso perceberão que sua coluna cortaria apenas uma ponta da estrela de seu escudo). O deslocamento é sutil, mas perceptível. O resultado é uma verdadeira dieta no nosso herói (cortei um pouco do excesso de deltoide para manter a harmonia do desenho, eliminando uma "bola" desnecessária em seu ombro), mas paradoxalmente uma maior masculinização do mesmo (eliminando as tetinhas). Comparem qualquer um dos desenhos abaixo com o original de Liefeld.


Preciso falar sobre a imagem do Fanático no início do post. Rob, em sua imensa sabedoria anatômica, o desenhou com algo em torno de 50 dentes. Não estou brincando, tentei contar e perdi a conta, é algo em torno de 50 dentes mesmo, confiram! Agora preciso explicar a minha imensa satisfação ao ver que havia outros que concordavam comigo que Rob Liefeld era ruim, muito ruim. Durante uns poucos meses da minha vida frequentei um curso de desenho da anatomia humana, ou algo assim. Lá havia muitos bons desenhistas, outros nem tanto, mas a grande maioria adorava HQs, de heróis principalmente, e adoravam bons desenhos. Mas havia muitos - sim, eu disse MUITOS - que idolatravam Rob Liefeld. Em pleno curso de desenho! Na época as revistas X estavam no auge, e enquanto uns ressaltavam Jim Lee (eu, por exemplo), outros ressaltavam nosso querido Rob. Eu pergunto: cadê esse pessoal, hoje? Porque hoje é muito fácil falar mal de Liefeld, muito fácil mesmo. Não se vê ninguém falando que já o defendeu, parece que 100% dos que liam quadrinhos na época não gostavam do cara. Não era assim. Cadê aquela galera, numerosa até, que pagava pau pro cara? Hoje não gostam mais ou vão dizer que nunca gostaram? Tsc...



Soube que em agosto deste ano, parece, na Chigado Comic Con, um fã foi até a mesa onde estava Rob e exigiu que este se desculpasse pelo que fez nos anos 90 e, não satisfeito, comprou um exemplar de How to Draw Comics the Marvel Way (um guia para desenhistas por Stan Lee e John Buscema) e deu de presente para Rob. Virou sensação na internet, uns a favor de seu gesto "heroico", outros contra.


Para finalizar este post, deixo vocês com uma das últimas que fiquei sabendo nosso Liefeld: uma história (The Godyssey, acho) em que os deuses gregos ficam meio putos por verem um humano sendo considerado Deus e vão tirar satisfação. Chegando lá, encontram Jesus (ele mesmo) pregado numa cruz e desafiam-no para porrada. O que Jesus faz? Desprega-se da cruz e cai pra dentro! Sério, história de Liefeld, Jesus cai na porrada contra os deuses gregos, até que Zeus himself desafia ele pra um mano-a-mano. E os dois partem pra descer o cacete um pra cima do outro... leiam um pouco aqui, em The Passion of The Liefeld. Formem suas próprias opiniões. Saudades dos grandes argumentistas/desenhistas do passado, como John Byrne, Walt Simonson, Frank Miller (no ínicio)...


Deixo-os agora com a conclusão do site original em inglês que inspirou este meu post: "Rob Liefeld ainda é contratado para trabalhar nas grandes editoras de quadrinhos. Ele é um dos artistas de HQ de maior sucesso, reconhecimento e popularidade na história, apesar de ser difícil de trabalhar, ególatra, teimoso e de perder prazos constantemente. Ele tem mais dinheiro do que muitos de nós vão ver na vida. Ele ainda não sabe desenhar um pé".





Música NÃO sugerida: O Passo do Elefantinho (Trio Esperança)



Leituras NÃO sugeridas: qualquer coisa que Rob Liefeld tenha feito como escritor, desenhista ou o que seja, ou que simplesmente tenha seu nome na capa.

2 comentários:

Kleiton Gonçalves disse...

Mas o que o Alan Moore fez com o Supremo do cara, foi muito bacana. Aquela "criação" dele era o que o barbudão queria para esquadrinhar décadas do Superman, sem ter que recorrer a DC Comics. Essa foi a única serventia do Rob aos quadrinhos, sem dúvidas.

Guilherme dos Reis disse...

Veja, Kleiton, se o Liefeld não estiver escrevendo nem desenhando, já é meio caminho andado para ser algo bom (re-re-re).
No caso do Supremo ainda tem outra questão: foi escrito pelo Allan Moore, né. Quando ele pega alguma coisa pra escrever, já é quase que o caminho inteiro andado para ficar bom.
Abraço!